quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Ser socorrista

ACIDENTES sempre acontecem, não importa em que tipo de atividade as pessoas possam estar envolvidas, sempre estarão sujeitas a se ferirem, gravemente ou não.
Muitas pessoas por serem atendidas de uma forma incorreta, quando não morrem, sofrem danos irreversíveis. Tudo isso por não terem recebido os devidos cuidados no tempo que mais lhe eram necessários. Pra se prestar corretamente esse tipo de ajuda, precisamos conhecer as técnicas de Primeiros Socorros. 

As pessoas serem apenas solidárias não basta. A dúvida é: COMO e QUANDO devo prestar auxílio á vítima? Pois se o fizer de qualquer jeito, PREJUDICO; se não o fizer é OMISSÃO, e isso é crime! (artigo 135 do Código Penal Brasileiro). A Omissão de socorro e a falta de pronto atendimento eficiente, é que tem levado muito dos acidentados á morte ou á danos irreversíveis. Pois os primeiros minutos que se sucedem logo após o acidente são os de maior importância para sua recuperação e sobrevivência.

Vamos chamar de SOCORRISTAS, os profissionais na área. Os Bombeiros por exemplo, tem experiência, conhecimentos e equipamentos necessários para melhor atender a cada caso. Nós que temos apenas noções de Primeiros Socorros somos chamados de ATENDENTE DE EMERGÊNCIA ou ATENDENTE EMERGENCIAL!

O conhecimento dessas Técnicas de Primeiros Socorros podem ser úteis fora do trânsito também.
* Em casa por exemplo: Se uma pessoa idosa cair e bater as costas, ficando sem respirar, não se terá tempo suficiente para ficar aguandando o Socorro que foi acionado chegar.
* Um grupinho de jovens: Saem para fazer um passeio na Serra, e um deles cai e quebra um braço ou uma perna. Não se tem nem como fazer contato com um Socorro, porque o celular está numa área fora de alcance.
Podemos imaginar tantas outras cenas das quais poderíamos nos deparar em situação de urgência de auto socorro, e não poderíamos contar com o mesmo por qualquer outro motivo. Então, conhecer essas Técnicas de Primeiros Socorros me seriam úteis no dia-a-dia.
A cena que se apresenta em um local de acidente com vítimas, sempre se apresenta em meio ao sofrimento, dor, pânico, nervosismo, com pessoas inconscientes ou não. Neste momento é preciso transmitir confiança, tranquilidade e segurança, principalmente aos acidentados que estiverem conscientes. Muitas vezes temos de agir rápido, usando de improvisos, mas sempre dentro dos próprios limites.

Fonte: UOL.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Primeiros socorros x Solidariedade

   

     "Todos os seres humanos são possuidores de um forte espírito de solidariedade e é este sentimento que nos impulsiona para tentar ajudar as pessoas em dificuldades." Nestes trágicos momentos, após os acidentes, muitas vezes entre a vida e a morte, as vítimas são totalmente dependentes do auxílio de terceiros.

      Acontece que somente o espírito de solidariedade não basta. Para que possamos prestar um socorro de emergência correto e eficiente, precisamos dominar as técnicas de primeiros socorros.

      Algumas pessoas pensam que na hora de emergência não terão coragem ou habilidade suficiente, mas isso não deve ser motivo para deixar de aprender as técnicas, porque nunca sabemos quando teremos que utilizá-las.
     
       SEJA SOCORRISTA! SEJA SOLIDÁRIO!

Quais são as primeiras atitudes diante uma situação de emergência?

        Geralmente os acidentes são formados de vários fatores e é comum quem os presencia, ou quem chega ao acidente logo que este aconteceu, deparar com cenas de sofrimento, nervosismo, pânico, pessoas inconscientes e outras situações que exigem providências imediatas.
        Quando não estivermos sozinhos, devemos pedir e aceitar a colaboração de outras pessoas, sempre se deixando liderar pela pessoa que apresentar maior conhecimento e experiência.

Se essa pessoa de maior experiência e conhecimento for você, solicite a ajuda das demais pessoas, com calma e firmeza, demonstrando a cada uma o que deve ser feito, de forma rápida e precisa.
        Apesar da gravidade da situação devemos agir com calma, evitando o pânico.
  • Transmita confiança, tranqüilidade, alívio e segurança aos acidentados que estiverem conscientes, informando que o auxílio já está a caminho.
  • Aja rapidamente, porém dentro dos seus limites.
  • Use os conhecimentos básicos de primeiros socorros.
  • Às vezes, é preciso saber improvisar.

Música para ressuscitação cárdio-pulmonar


Os Bee Gees e a famosa música "Stayin Alive" podem salvar vidas. Quem diz é uma equipe de médicos especializados em situações de emergência, que garante que o tema, que foi um verdadeiro hit dos anos 70, tem o ritmo certo para fazer uma adequada massagem cardíaca.
Para que uma ressuscitação cardiopulmonar (RCP) seja bem sucedida precisa ser realizada ao ritmo certo. Segundo a Associação Americana do Coração, a canção que embalou John Travolta no filme "Os embalos de Sábado à Noite" pode ser uma ajuda valiosa: é que na RCP devem ser feitas 100 compressões por minuto no peito da vítima, e a música tem precisamente um ritmo de 103 batidas aos 60 segundos.
De acordo com uma reportagem do Daily Telegraph, o especialista David Matlock observou dez médicos e cinco estudantes de medicina a realizarem a operação de primeiros-socorros ao som de "Stayin Alive" e a média de compressões esteve dentro das necessárias para reanimar um paciente corretamente. Cinco semanas mais tarde foi levado a cabo o mesmo procedimento sem a ajuda dos Bee Gees e o número já foi mais elevado.
O resultado deste estudo deverá ser apresentado ainda este mês numa conferência da American College of Emergency Physicians. A ideia é que o tema da banda britânica, cujo título "Stayin Alive" (em português, mantendo-se vivo) não podia ser mais apropriado, passe a ser usado como técnica para treinar profissionais de emergência médica.

Fonte: Expresso.pt, 2008.

VEJA O VÍDEO:

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Cartilha de Primeiros Socorros - UNIMED

O que fazer na hora de um acidente ou imprevisto?
Desespero e ansiedade costumam ser os sentimentos deste momento. Algumas atitudes podem evitar complicações e, em alguns casos, até salvar a vida de uma pessoa.
Na cartilha de primeiros socorros da Unimed você encontra informações que podem ser úteis em momentos de emergência.
Foram selecionadas várias situações que podem auxiliá-lo na hora de um acidente que demande alguns cuidados antes de chegar a um médico.
FONTE: Unimed do Brasil


Clique na imagem para acessar.



sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Jogos internos

Durante os dias 16 à 19 de novembro de 2011 aconteceram os jogos internos da E.E.E.P Júlio França, nós do grupo da Cartilha de Primeiros Socorros juntamente com os alunos do terceiro ano enfermagem fomos convidados pelos organizadores do evento, para prestarmos o atendimento de primeiros socorros, caso seja necessário, aos atletas. Após o termino da competição a professora de Ed. Física e coordenadora do evento Sâmia Régia Vasconcelos deu um depoimento sobre a importância dos atendimentos aos atletas.

A participação da equipe do projeto Cartilha de Primeiro Socorros e dos alunos do terceiro ano enfermagem foi essencial durante todos os jogos, pois os mesmos agiram de forma positiva e eficaz no atendimento aos atletas que sofreram colisões, pancadas, falta de ar, desmaios, entre outros acontecimentos que necessitavam de cuidados. A maior colaboração do grupo fez-se na fase final onde aconteceram diversos incidentes, isso revela exigente postura e conhecimento teórico - prático da equipe.  Agradeço por aceitarem o convite e gostaria de parabenizá-los pela eficácia na ação dos procedimentos realizados.

  
 (Prof.: Sâmia Régia Vasconcelos)

A importância de sinalizar o local do acidente


Os acidentes acontecem nas ruas e estradas, impedindo o fluxo normal das vias. Por isso, esteja certo de que, em situações de perigo, poderão ocorrer novos acidentes com os já acidentados e/ou com o socorrista. Algumas regras básicas poderão evitar um acidente.

  •   Inicie a sinalização em um ponto em que os motoristas ainda não possam ver o acidente;
  • Demarque todo o desvio do tráfego até o acidente;
  • Mantenha o tráfego fluindo;
  • Sinalize no local do acidente.
A sinalização deve ser iniciada para ser visível aos motoristas de outros veículos antes que eles vejam o acidente. As distâncias para o início da sinalização são calculadas com base no espaço necessário para o veículo parar após iniciar a frenagem, mais o tempo de reação do motorista. Na prática, recomenda-se que se usem passos em vez de metros, é uma forma mais rápida e prática. Cada passo bem longo de um adulto corresponde a aproximadamente um metro. Uma tabela mostra o número de passos longos correspondentes à velocidade máxima permitida no local. 


quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Estatísticas do Ministério da Saúde

Dados sobre as vítimas fatais

As estatísticas do Ministério fornecem dados sobre os óbitos por causas externas. Estes óbitos são os que resultam de acidentes (inclusive os acidentes de transporte), agressões, suicídios, etc.

A última avaliação anual disponível do número de vítimas fatais dos acidentes de transporte através deste canal é de 38.470 em 2009. Dentro deste grupo, o número de vítimas fatais dos acidentes de trânsito é da ordem de 36.930, naquele ano.

Dados sobre os feridos

As estatísticas do Ministério fornecem também dados sobre as internações por causas externas. A última avaliação anual disponível do número de internações decorrentes dos acidentes de transporte através deste canal é de 124.013 em 2007. Dentro deste grupo, o número de vítimas dos acidentes de trânsito é da ordem de 119.000, naquele ano.

Essas estatísticas têm a sua origem no DATASUS, banco de dados do Sistema Único de Saúde, acessível no portal do DATASUS. Um dos méritos deste banco de dados é a distribuição em faixas etárias de igual duração (5 anos), permitindo analisar a repartição dos acidentes em função da idade das pessoas envolvidas. Segue o link abaixo.

http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?sim/cnv/ext10uf.def


Violências e acidentes
As quedas representam 61% e 14% , respectivamente de uma amostra com 3.209 atendimentos de idosos vitimas de violências e acidentes.
Dados de 2007, da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde revelam que as quedas e os acidentes de trânsito foram as principais causas de atendimentos notificadas em serviços de urgência e emergência durante o inquérito Viva. Elas representam 61% e 14% , respectivamente de uma amostra com 3.209 atendimentos de idosos vitimas de violências e acidentes.
“Esses percentuais são considerados altos e revelam apenas a ponta do iceberg, pois ainda há subnotificações. Os dados revelam apenas os casos graves, que chegam aos hospitais de urgência e as lesões leves e moderadas, muitas vezes não chegam ao pronto socorro”, comenta a coordenadora da área técnica de Vigilância e Prevenção de Violência e Acidentes, Marta Silva, do Ministério da Saúde.
Hoje os casos de violência doméstica, sexual, auto-provocadas e outras violências cometidas contra pessoas idosas são obrigatoriamente notificados pelo Vigilância de Violências e Acidentes (Viva). Uma rede formada pelos serviços municipais, informa às secretarias estaduais de saúde, que por sua vez notificam o Ministério da Saúde sobre os casos.
A partir das notificações, o Ministério da Saúde, compila as estatísticas e constrói ações de prevenção e promoção da saúde. Por exemplo, no trânsito, os acidentes com idosos acontecem principalmente com pedestres (36%), bicicletas (16%), automóvel (15%) e motocicleta (14%).
Os tipos de violência contra idosos, mais comuns notificados pela vigilância são: 92% física e 20% psicológica. Dentre o perfil dos agressores em 34% das vezes é um familiar. A rede Viva articula-se com 255 Núcleos de Prevenção de Violências e Promoção da Saúde (NPVPS), sendo 216 secretarias municipais de saúde, 21 secretarias estaduais , 16 instituições acadêmica e 2 ONGs. A idéia é fazer ações de prevenção, com bases nas estatísticas geradas.


REFERÊNCIA
PORTAL DA SAÚDE



Dicas

Veja algumas dicas do Dr. Dráuzio Varella.

video


Dúvidas mais frequentes

Selecionamos as perguntas realizadas com maior freqüência pelos cursistas da Capacitação em atendimento pré-hospitalar no decorrer das aulas, para os integrantes do Projeto Cartilha de Primeiros Socorros.


Cursista: Se em um acidente automobilístico a vítima está inconsciente, com grave hemorragia nasal (epistaxe), com risco de fratura da coluna cervical, porém está de barriga para cima (decúbito ventral), o que devemos fazer?

Equipe: Em toda e qualquer situação de emergência a prioridade é a vida, nesse caso mais vale ficar com alguma seqüela na coluna cervical que morrer asfixiado, assim deverá com bastante cuidado mudar sua posição, para obter uma melhor respiração, caso esta esteja ausente, posicioná-lo para a realização da ventilação boca-a-boca.



Cursista: Por que não se deve colocar ovo cru sobre uma queimadura?

Equipe: Não se deve colocar ovo cru sobre uma queimadura ou outro ferimento qualquer devido ao aquecimento que será produzido no ovo, provocando o cozimento do alimento, além de obter elevado número de bactérias. Ao colocar sobre o ferimento, a chance de infeccionar é muito grande.



Cursista: Durante uma convulsão é comum colocarmos a nossa mão na boca da vítima a fim de segurar língua, para esta não enrolar e a vítima não morrer asfixiado. É correto?

Equipe: Não se deve colocar a nossa mão na boca de um indivíduo convulsionando, porque não é necessário, pois a pessoa mesmo convulsionando tem a capacidade de conter a língua. Também pelo fato de quando há uma vítima convulsionando, a nossa mão em sua boca nos arriscaremos a ser mordidos, pois seus movimentos são involuntários (não controlados), podendo levar à amputação.



Cursista: É comum durante uma síncope (desmaio) dar álcool para a vítima cheirar e assim ficar consciente, isso é correto?

Equipe: Não, não é correto dar álcool para uma vítima de síncope cheirar, pois não ajudará no retorno da consciência e quando esta estiver voltando, a vítima se sentirá mal por causa do forte cheiro característico do álcool.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Diferença entre urgência e emergência

Urgência: é necessário ser feito com rapidez. O agravo à saúde não apresenta risco de vida evidente. O atendimento pode aguardar até 24 horas. Exemplo: fratura.

Emergência: é inesperada e requer ação rápida. O atendimento precisa ser imediato. Exemplo: hemorragia.

Escala de avaliação

Apresentamos alguns de nossos critérios  avaliados após o curso de primeiros socorros aplicado no 1º Ano Informática, cujo resultados, foram excelentes. Agradecemos aos alunos pelo apoio e incentivo, pois nos estimulou a prosseguir com os ensinamentos, bem como, para utilizar as informações nos anexos do projeto, a fim de serem apresentados na V Feira Estadual de Ciências e Cultura.




 

domingo, 20 de novembro de 2011

Jogo de primeiros socorros

Olá pessoal,


Encontramos no site "nossotransito.com.br" um jogo de primeiros socorros muito útil, em especial, aos alunos que estão cursando a disciplina de Urgência e Emergência. A ferramenta testa seus conhecimentos na área de cuidados pré-hospitalares.


Vamos testar seus conhecimentos?


Dica de site

Olá pessoal,

Hoje trazemos uma dica muito interessante de um site elaborado pela equipe do Portal do iG, na sessão do iGuinho, onde consta de um material que orienta crianças na realização de Primeiros Socorros. O texto e as imagens são bem lúdicos, com a linguagem muito clara.

Segue abaixo o link. Acessem e façam bom proveito!

O blog da CARTILHA é INTERNACIONAL


Agradecemos cada acesso ao nosso blog, as estatísticas nos mostram que estamos atingindo nosso objetivo de disseminar conhecimentos sobre primeiros socorros sem fronteiras!

sábado, 19 de novembro de 2011

Frase do dia


"Nosso caráter é o resultado da nossa conduta." (Aristóteles)

Busque, pratique, realize, primeiros socorros! Tendo uma técnica correta você pode salvar vidas.

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Aula prática - Afogamento

 Vídeo-aula feito pelos alunos da Escola Júlio França na disciplina de Urgência e Emergência com a professora Arilene Moreira. (2010)

A

Alguns mitos


Apresentamos alguns mitos que podem custar vidas e ainda existem pessoas que realizam em acidentados.


Mito 1: É melhor não fazer nada para não piorar a situação.
Se alguém está a sangrar e você não fizer nada, a pessoa pode perder muito sangue e morrer. Se alguém está inconsciente e não estiver a respirar e você não fizer nada, a pessoa pode continuar nesse estado e acabar por morrer.
Mito 2: Vítimas de ataque cardíaco devem deitar-se, em vez de se sentarem.
Errado. A posição semi-sentada com os joelhos dobrados e cabeça e os ombros apoiados é a melhor para a pessoa respirar.
Mito 3: Se um braço ou uma perna está a sangrar muito, você deve amarrar um torniquete apertado em volta do ferimento.
Errado. Em vez disso, deve-se utilizar um curativo para fazer pressão sobre a ferida e elevar o membro lesionado.
Mito 4: Se uma criança beber água sanitária, faça-a vomitar.
Isso pode causar mais danos quando o vómito sai do corpo.
Mito 5: Se alguém está sufocado com um objeto estranho, vai introduzir os dedos garganta adentro.
Na realidade, isso pode empurrar ainda mais para baixo o objeto. Em vez disso, bata com firmeza no meio das costas.
Mito 6: Se alguém estiver a sofrer um ataque epiléptico, deve-se colocar algo na sua boca – uma colher, talvez.
A ideia é evitar que o indivíduo morda a língua, mas se colocar uma colher na sua boca, a vítima estará mais propensa a partir os dentes ou o próprio objeto e, em seguida engasgar-se com os pedaços. 
Mito 7: Passar manteiga sobre uma queimadura
Colocar manteiga ou qualquer outro tipo de gordura sobre uma queimadura pode elevar o calor, causando cicatrizes e conduzindo a uma infecção.
Mito 8: Colocar a cabeça para atrás para parar um sangramento nasal
Não ponha a cabeça entre os joelhos nem a jogue para trás. Pois, existe a possibilidade da pessoa aspirar o próprio sangue para os pulmões ou para o estômago causando vômitos.


Com isso, podemos notar o quanto condutas erradas podem agravar ainda mais situações de emergência e também a importância de sabermos ajudar diante esses acidentes.

Você sabia?

A real função do Pronto Socorro como o próprio nome diz, é atender vítimas que estejam em estado de Urgência ou Emergência. São pessoas que correm risco eminente de vida, como acidentados, em casos de fratura, obstrução de vias aéreas (engasgo), choque elétrico, envenenamento, síncope, afogamento, entre outros. Porém, uma vez que a cada 30 pessoas que procuram o serviço, em média, 10 não são casos de urgência. Em geral, esses casos poderiam ser atendidos em postos de saúde. E esses mesmos casos são responsáveis pelo aumento do tempo de espera causado aos que necessitam ser atendidos com urgência. Outro item que dificulta o trabalho da equipe no Pronto Socorro é o número exagerado de acompanhantes, o que causa a sensação de superlotação e aumenta o risco de contaminação.

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Frase do dia


"O destino do traumatizado está nas mãos de quem faz o primeiro curativo."

Nicholas Senn



quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Jogos internos


Hoje, iniciaram os jogos internos da E.E.E.P. Júlio França. Tendo em vista esse movimento, nós, integrantes do projeto Cartilha de Primeiros Socorros, fomos convidados pela organizadora do evento, a Professora de Educação Física Sâmia Régia Vasconcelos, para realizar atendimentos de primeiros socorros aos atletas durante os jogos, sob supervisão da Professora Arilene Moreira.
Organizamos, na turma do 3º Ano Enfermagem, grupos com a participação de pelo menos um integrante do projeto, dividindo-os nos horários dos jogos. 

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Socorrista

Para realizar o atendimento de emergência, o socorrista deve ser humano, corajoso, de maneira a ter uma ação primordial embora limitada e provisória no apoio a vítima. Primordial porque é o primeiro a prestar qualquer cuidado à vítima; limitada porque o conhecimento dos socorristas na maioria das vezes só lhe dão capacidade para fazer as primeiras condutas e evitar que a situação se agrave; temporária porque no momento em que o clínico tome conta do caso a missão do socorristas termina.
Portanto, do direito de realizar o atendimento pré-hospitalar, sendo capacitada para tais condutas, qualquer pessoa que adquiram conhecimentos exatos e sintam-se seguros. Segundo disposições contidas no Código Penal Brasileiro será penalizado por omissão de socorro aquele que não prestar devida assistência diante situações que necessitem de primeiros socorros.


sábado, 12 de novembro de 2011

Banner

Logo abaixo, a imagem do banner apresentado na Feira Regional de Ciências e Cultura em Acaraú, ocasião pela qual o projeto foi aprovado em 1º lugar, ganhando medalha de ouro e sendo selecionado para a V Feira Estadual de Ciências e Cultura em Fortaleza, representando a 3ª CREDE na categoria Tecnologia Profissional.

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Apresentamos um de nossos recursos utilizado para ministrar as aulas de primeiros socorros.

SLIDE - AULA SOBRE CARTILHA DE PRIMEIROS SOCORROS [PARTE 01]

RESULTADOS DO 1º ANO INFORMÁTICA

Apresentamos abaixo os resultados das avaliações realizadas com os alunos do primeiro ano informática.

Desejamos PARABÉNS pelo desempenho excelente obtido.

RESULTADOS – 1º INFORMÁTICA



Antônio Rômulo Araújo
15
Érika Laricy Brandão
15
Francisca Karina Nascimento
14
Ianka Rocha
14
Igor
14
Ketícia Albuquerque
14
Maria Sinara Nascimento
14
Nathanael Wanderson Silva
14
Adriana Jéssica de Maria
13
Francisco Raico do Carmo
13
Francisco Valdicio Araújo
13
José Claudileno Soares
13
Luana Araújo
13
Thaís Thainara Silva
13
Felipe Jefferson
12
Francisca Natiele Oliveira
12
Geones Araújo Saouza
12
Maria Érica Silva
12
Vanessa Kédna Vasconcelos
12
Francisca Cassiana de Paulo
11
FranciscoThiago Andrade
11
Maicon Douglas
11
Maíra Nascimento Rocha
10
Maria Elisangela Silva
10
PedroVictor
10
Andreza Oliveira
10
Elton Carvalho Gadelha
10
CarlosMagno Silva Cordeiro
10
Francisco Ronaldo Almeida
9
Maria Gerlane Sousa
9
Monalisa Araújo
9
Iana Nascimento
9
Jarlene Araújo
9
Aerveson
8
Teófilo
5
Aparecida Samile Morais
5


sábado, 5 de novembro de 2011

NOSSAS ESTATÍSTICAS

Gostaríamos de agradecer a todos os internautas ue acessaram e vem acessando nosso blog!
Estamos postando nossas novidades com frequência, para que vocês sempre vejam as postagens fresquinhas.


Hoje, estamos divulgando o público que tem acessado o blog cartilhadeprimeirosocorros.blogspot.com

NOSSOS AGRADECIMENTOS A TODOS!!!

terça-feira, 1 de novembro de 2011

V Feira Regional de Ciências e Cultura.




ACIDENTES POR ANIMAIS PEÇONHENTOS

Escorpiões, cobras, aranhas, abelhas e outras espécies peçonhentas podem causar intoxicação e reações alérgicas graves.

O que fazer?

• Impeça que a vítima se movimente.

• Capture o animal agressor, desde que você não se exponha a risco e não atrase o transporte.

• Leve a vítima e o animal a um hospital o mais rapidamente possível.

Acione o quanto antes a Atenção Pré-Hospitalar 192 - SAMU.



ENVENENAMENTO


Envenenamento é a intoxicação causada por ingestão de medicamentos, produtos químicos, plantas venenosas, pela inalação de gases tóxicos ou pelo contato da pele com pesticidas ou toxinas animais.

O que NÃO fazer?

• Não provoque vômitos.

• Não administre calmantes ou bebidas alcoólicas.

O que fazer?


• Encaminhe a vítima para o hospital, levando junto a embalagem do agente tóxico.


• Havendo contato de substâncias químicas com os olhos, lave-os com soro fisiológico ou água limpa, durante 20 minutos. (Se apenas um olho for atingido, evite que o líquido atinja o outro, cobrindo-o com gaze ou pano limpo).




Acione o quanto antes a Atenção Pré-Hospitalar 192 - SAMU.

QUEIMADURAS




Queimaduras são ferimentos produzidos nos tecidos pela ação de agentes físicos (como calor e frio), ou químicos (ácidos, bases, etc.). As queimaduras são classificadas de acordo com sua profundidade:

• Primeiro grau: nível mais superficial. Causa vermelhidão sem bolhas. É o estágio inicial da queimadura de sol.

• Segundo grau: nível mais profundo. Causa bolhas.

• Terceiro grau: estágio mais grave. Destrói a pele e atinge músculos e órgãos internos.

O que fazer?

• Lave imediatamente a área afetada com água abundante em temperatura ambiente.


• Se a queimadura for provocada por agente químico, tire o excesso do agente causador e lave com água abundante.

• Remova as roupas, principalmente se a queimadura for provocada por agentes químicos e se o vestuário ainda estiver com a substância.

• Se a área afetada apresentar bolhas ou feridas, cubra o local com pano limpo ou gaze.

• Em caso de queimadura térmica, remova apenas as roupas que não estão grudadas.

• A queimadura elétrica é uma queimadura grave. Neste caso, procure imediatamente um pronto-atendimento ou acione o quanto antes a Atenção Pré-Hospitalar SAMU.

SÍNCOPE OU DESMAIO

Desmaio.



O desmaio é uma forma de perda de consciência e, muitas vezes, pouco perigosa. O desmaio ocorre pelo fato de o cérebro receber insuficiente irrigação sanguínea e pode ser provocado por vários fatores: falta de ar, emoção, dor, etc.

O que fazer?

• Certifique-se de que a vítima respira (caso não respire, veja item sobre parada cardiorrespiratória).

• Deite a pessoa, mantenha a cabeça dela para o lado, verifique a presença de corpo estranho que possa estar obstruindo a respiração e afrouxe as roupas.

• Não ofereça líquidos para a pessoa: a vítima só poderá beber quando for capaz de segurar o copo por ela própria.

CONVULSÃO

Crises convulsivas.



Crises convulsivas são contrações musculares, provocando movimentos desordenados e inconscientes. Urinar e evacuar podem ser sinais frequentes.

O que fazer?

• Mantenha a pessoa deitada para que a saliva (ou vômito) não se acumule na boca, evitando que a vítima se sufoque.

• Deite a vítima no chão e proteja-a de traumas, segurando sua cabeça. Não restrinja seus movimentos.


• Não realize respiração boca a boca, nem massagem cardíaca. Não coloque objetos ou dedo na boca da vítima.

• Quando os tremores cessarem, certifique-se de que a vítima esteja respirando sem dificuldades e que não haja presença de corpo estranho ou vômito na boca.

• Não administre medicação, líquidos ou alimentos pela boca.

• Coloque a pessoa em posição de recuperação, deitada  e com os joelhos levemente dobrados. 


• Ajude a pessoa a se orientar enquanto recobra a consciência. Converse calmamente quando ela voltar à consciência, geralmente ela estará confusa e necessitará de apoio físico e psicológico. Tente explicar o que aconteceu e informe que a ajuda já está a caminho.


  • Acione o quanto antes a Atenção Pré-Hospitalar  S/N


CONDUTAS

O que fazer.

Antes de prestar socorro a qualquer vítima, analise se o local é seguro e não oferece riscos, para evitar que você também se torne uma vítima.

O ideal é não remover a vítima, nem alterar sua posição, a menos que o local seja muito inseguro (ex: no meio de uma avenida) ou que a vítima esteja em pronação (de barriga para baixo).

Mantenha afastados os curiosos para evitar confusão e ter espaço para agir. Evite o pânico e procure colaboração, dando ordens claras, breves e objetivas.

O primeiro passo é avaliar rapidamente o estado da vítima:

• Avalie se a pessoa consegue abrir os olhos. Se ela estiver com os olhos fechados, chame-a pelo nome e, se ela não responder, chame-a novamente em voz alta.

• Se, ainda assim, a vítima não abrir os olhos, toque em seu braço, chamando-a e tentando acordá-la. Faça perguntas simples, como “qual é o seu nome? Quantos anos você tem?” para estimular a reação da pessoa.

• Se a vítima não responder aos estímulos, acione imediatamente para o SAMU e inicie as condutas corretas.


PRIMEIROS SOCORROS

Chamamos de primeiros socorros o conjunto de medidas aplicadas às vítimas de lesões ou males súbitos para evitar o agravamento de seu estado até que elas recebam o atendimento de um profissional de saúde.

Deve-se prestar os primeiros socorros sempre que a vítima não estiver em condições de cuidar de si. Para isso, é fundamental que a pessoa que presta o socorro tenha os conhecimentos básicos necessários para tal, evitando assim ações e atitudes que possam agravar o estado da vítima.

Os primeiros socorros não substituem o atendimento médico especializado, nem devem atrasá-lo. Os primeiros socorros são intervenções feitas para diminuir o sofrimento da vítima, manter os sinais vitais, evitar complicações futuras e salvar vidas.

CONTUSÃO E FRATURA

Contusão


É uma área afetada por uma pancada ou queda sem ferimento externo. Pode apresentar sinais semelhantes aos da fratura fechada. Se o local estiver arroxeado, é sinal de que houve hemorragia sob a pele (hematoma).



Ø  As medidas de primeiros socorros e de tratamento são elevação e não-movimentação da parte afetada, aplicação de compressas frias ou bolsa de gelo por 48 horas e, em seguida, aplicação de calor.


Fratura


É a quebra ou ruptura dos ossos, causada por um impacto de intensidade variável. A fratura pode ser fechada quando não houver rompimento da pele, ou aberta (fratura exposta) quando a pele sofre um rompimento (solução de continuidade) no local da lesão óssea.
A vítima apresenta dor, inchaço (edema), arroxeado (hematoma), perda da função, deformidade.


Ø  As medidas de primeiros socorros são: Movimentar o mínimo possível a parte afetada, verificar a presença de outras lesões, não remover a vítima antes de imobilizar a área afetada e não tentar recolocar o osso no lugar.